domingo, 15 de maio de 2016

ÉPOCA DE 1946/47

PLANTEL


Jacinto, Baptista, Moreira, Félix, Francisco Ferreira, Júlio, Rogério "Pipi", Arsénio, Joaquim Fernandes, Espírito Santo, António Teixeira, Martins, Pinto Machado, Claro, Melão, Amorim, Andrade, Rui, Manuel Amorim, Corona, Vieira, Terreno, Rosa, Mário Reis, Orlando, Felipe, Horácio e Cerqueira

TREINADOR

JANOS BIRI

MELHOR MARCADOR


Arsénio - 29 golos

RESULTADOS






PRESIDENTE


Brigadeiro Tamagnini Barbosa


Foi eleito presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sport Lisboa e Benfica para os anos de 1946/1947, no terceiro período de vigência de Manuel da Conceição Afonso como presidente da direcção. Pela demissão deste, a 30 de Julho de 1946, passou para o cargo máximo do clube, tendo tomado posse no dia 25 de Janeiro de 1947. Manteria o cargo até o dia do seu abrupto falecimento. Tentou encontrar uma solução rápida para o clube voltar às vitórias futebolísticas, e, para que isso tornasse uma realidade, despediu Janus Biri, contratando primeiro Lippo Hertzca, depois Ted Smith. Não chegaria a presenciar em vida, contudo, os resultados desejados, mas esta decisão abriu caminho não só para quebrar o ciclo negativo do clube a nível nacional como também para o levar a conquistar o seu primeiro grande troféu do futebol europeu: a Taça Latina

FOTOS

Guimarães 2 - Benfica 5


Guimarães 2 - Benfica 5


Guimarães 2 - Benfica 5


Guimarães 2 - Benfica 5


Benfica 4 - FcPorto 0


Benfica 2 - Charlton 1 (Particular)

CRÓNICA DA ÉPOCA 


A época de 1946/47 marca o começo de uma nova era no futebol português. O treinador do Sporting, o inglês Robert Kelly reunia em campo um quinteto que faria história: José Travaços, Jesus Correia,Albano Pereira, Manuel Vasques e Fernando Peyroteo, conhecidos como «os Cinco Violinos».

O Sporting foi campeão com seis pontos de avanço sobre o eterno rival, o FC Porto ficou em terceiro e o campeão em título Belenenses afundou-se no quarto lugar. O campeonato foi um passeio para os sportinguistas que apontaram ao todo 123 em 26 jogos, um recorde que passadas tantas décadas ainda perdura e promete durar....

Em casa, os leões dizimaram a concocorrência: Benfica (6x1), FC Porto (3x2), Belenenses (3x0), Estoril (5x0), Atlético (9x2)... Fora sofreram derrotas em visitas aos vizinhos Benfica e Belenenses. Fernando Peyroteo brilhou com um novo recorde de golos num campeonato: 43!
Esta edição também ficou na história por ser a primeira com 14 clubes, dando sequência à época anterior, passou a haver descidas e subidas de divisão e nunca mais os diversos campeonatos regionais serviram como qualificação para o Campeonato da Primeira Divisão.

Nesta época não se realizou a Taça de Portugal,

A Sanjoanense foi o primeiro 14.º classificado da história do Campeonato, terminando o campeonato com somente cinco pontos a uns inacreditáveis doze pontos do penúltimo, o Famalicão, que terminou a prova com 17 pontos.