quarta-feira, 15 de junho de 2016

ÉPOCA DE 1972/73

PLANTEL


Humberto Coelho,  Malta Silva,  Vitor Martins,  Messias, Jaime Graça,  Rui Rodrigues, Artur Jorge,  Vitor Baptista,  Jordão, Artur Correia, Matine,  Diamantino,  Nelinho, Shéu,  António Basto Lopes,  Bento, José Henrique,  Adolfo, Simões, Nené,  Toni,  Eusébio

TREINADOR


Jimmy Hagan



MELHOR MARCADOR


ARTUR JORGE - 33 GOLOS

EUSÉBIO - 43 GOLOS

RESULTADOS



CRÓNICA DA ÉPOCA

O Benfica de 1973 juntou-se ao clube dos «100», um restrito clube  para equipas que tinham conseguido marcar cem ou mais golos numa edição do Campeonato. Um clube de elite a que só tinham acesso o Sporting dos «Violinos» em 1946/47 (123), 1948/49 (100) e o Benfica de 1963/64 orientado por Riera e com o grande Eusébio (103).

Em 1972/73, o Benfica de Jimmy Hagan apontou 101 golos em 30 jogos, sofrendo apenas 13 golos, igualando o recorde de menos golos sofridos, obtido pelo Benfica em 1936/37. 28 vitórias e dois empates, tornando-se a primeira equipa a terminar a prova sem conhecer o sabor da derrota. Uma verdadeira máquina demolidora.

Tão fácil foi a vitória, que o segundo classificado ficou a uns nunca antes vistos 18 pontos de atraso. 18 pontos que separaram o Benfica do Belenenses que pela terceira vez na história terminava na posição, tornando-se vice-campeão.

O pódio ficava fechado com o Vitória de Setúbal, feito que os sadinos conseguiam que pela terceira vez em quatro épocas. Em quarto e em quinto, empatados com 37 pontos e a 21 do Benfica, seguiam FC Porto e Sporting, irmanados na desgraça...

PRESIDENTE


DR. BORGES COUTINHO

VIDEOS

BENFICA 4 - SPORTING 1



PORTO 2 - BENFICA 2




BENFICA 3 - PORTO 2



Derby Country 3 - BENFICA 0