sábado, 17 de setembro de 2016

GRANDES NOMES

LEO




Leonardo Lourenço Bastos, mais conhecido como Léo (Campos dos Goytacazes, 6 de Julho de 1975), é um ex-futebolista brasileiro.

Léo é o maior vencedor de títulos no Santos depois da famosa "Era-Pelé" e, actualmente, é o 10º jogador que mais atuou com a camisa santista, com 455 jogos. Léo é idolatrado pela torcida Santista por sempre demonstrar um grande amor pelo clube. No dia do aniversário de 98 anos do clube (14 de abril de 2010), Léo foi escolhido pela torcida e homenageado pela diretoria para vestir a camisa 98, em que o time venceu o Guarani na Vila Belmiro por 8 a 1. O mesmo também foi feito em 2011, e Léo vestiu a camisa que simbolizava 99 anos do clube. Léo é sobrinho de Tite, ex-ponta-esquerda do Santos nas décadas de 50 e 60, já falecido. Além de ídolo no Santos, Léo é recordado com carinho entre os Benfiquistas, pelos seus quatro anos em que serviu o Benfica com uma devoção exemplar.



Carreira


Iniciou a sua carreira profissional no Americano de Campos, foi negociado com mais 2 jogadores para o União São João de Araras e ainda teve uma rápida passagem pelo Palmeiras, com passagens discretas por esses clubes, assinou contrato pelo Santos em 2000.



O surgimento do Guerreiro da Vila


Se tornou um grande ídolo santista, onde foi campeão do Campeonato Brasileiro de 2002 ao lado de jogadores como Elano, Diego, Robinho, Renato e Alex apresentando um futebol alegre que enlouquecia os torcedores alvinegros. Em 2003 fez novamente uma boa temporada, porém o time da vila não chegou a ganhar nenhum título, foi vice-campeão do Campeonato Brasileiro de 2003 e vice-campeão também da Taça Libertadores da América de 2003 (onde perdeu na final para o Boca Juniors). Em 2004 mesmo com a saída de alguns jogadores importantes como Diego e Alex foi campeão do Campeonato Brasileiro de 2004, oitavo título brasileiro do Santos Futebol Clube. Atuando como lateral-esquerdo na equipe do Santos, chegou a participar de 280 jogos e marcou 20 gols nessas oportunidades. Marcou vários gols decisivos, como nas quartas-de-final e final do Brasileirão 2002, contra São Paulo e Corinthians (dois rivais do Santos), respectivamente. Léo sempre foi um lateral ofensivo, consagrado por seus dribles mas a sua idolatria no time da vila foi concretizada principalmente pelo seu declarado amor pelo peixe que o consagrou como ídolo e um dos maiores laterais-esquerdos da história do Santos.

Após essa ótima passagem no time da Vila, que o lançou para as vitrines do futebol internacional, chegou a chamar atenção de clubes europeus, sendo futuramente contratado pelo clube português, Benfica.



Sucesso no Benfica


Foi contratado pelo Benfica na época (temporada) 2005/2006 pela soma de €250.000. Em quatro anos jogando no Benfica, conquistou o carinho da torcida benfiquista com sua tradicional raça e agilidade principalmente na boa campanha na Liga dos Campeões de 2005/2006 onde chegou as quartas de final, tornando-se também em solo europeu ídolo de um grande clube o guerreiro agora de Lisboa conquistou a Copa Dubai e o Torneio de Guadiana em 2007, em 2008 voltou a se consagrar campeão agora no Torneio da Cidade de Guimarães. Comparado por muitos com o Eusébio.

No início de 2009 porém, rescindiu seu contrato com o Benfica, devido a problemas familiares em Portugal. Desta forma, optou regressar ao Brasil novamente, escolhendo com o coração com o Santos Futebol Clube mais uma vez.



Léo ficará sempre ligado à sua história no clube Português, sendo visto como um dos melhores laterais-esquerdos da história do Benfica, a par de nomes como de Álvaro Magalhães e Stefan Schwartz. A sua entrega em todas as partidas do clube da capital Portuguesa, tornou-o adorado por todos e admirado pelos adeptos dos clubes adversários. É de realçar a campanha na Champions League pelo Benfica que só terminou na derrota frente ao Barcelona de Ronaldinho, que viria a sagrar-se campeão europeu nesse ano, numa final frente ao Arsenal. Em sua despedida pronunciou declarações de amor ao clube, antes de assinar com o peixe.


VIDEO