domingo, 4 de setembro de 2016

GRANDES NOMES

GEOVANI


Geovanni Deiberson Maurício Gomez,  mais conhecido Geovanni, (Acaiaca, 11 de janeiro de 1980) é um ex-futebolista brasileiro que actuava como medio.

Revelado pelo Cruzeiro, estreou pelo clube mineiro na partida contra o Mamoré, no dia 30 de março de 1997, vencida por 3 a 1 pela Raposa, válida pelo Campeonato Mineiro. Participou de apenas mais alguns encontros no decorrer do ano.



Em 1998, após conquistar o Campeonato Mineiro e a Recopa Sul-Americana, marcando nos dois jogos da final nesta última competição, foi emprestado ao América Mineiro, que defendeu no Brasileirão, marcando um gol em 15 jogos.



Retornou em 1999, quando ajudou a equipe a vencer a Copa dos Campeões Mineiros mas ainda sendo apenas reserva. Em 2000, ganhou vaga no time titular e foi peça fundamental na conquista da Copa do Brasil, tendo inclusive marcado o golo do título no último minuto da partida de volta. Após ser campeão da Copa Sul-Minas de 2001, também anotando um gol na final, foi vendido para o Barcelona por 18 milhões de dólares.

Barcelona e Benfica

Actuou com certa regularidade durante a primeira temporada no clube espanhol, mas perdeu espaço na seguinte, fazendo com que fosse emprestado ao Benfica, onde agradou e teve seu passe comprado em definitivo para 2003-04, temporada em que ajudou a equipe a conquista a Taça de Portugal, terminando um jejum de 7 anos sem este título nacional do clube. 



Em 2004-05, Geovanni continuaria a ser decisivo, ajudando o Benfica a ser campeão da liga nacional 10 anos depois. Com gols em clássicos contra Porto e Sporting, foi peça chave no título, tendo jogado 31 das 34 partidas do campeonato.  Na temporada seguinte, com novo título, dessa vez da Supertaça Cândido de Oliveira, continuou a se destacar mas o clube não conseguiu conquistar mais taças.

Retorno frustrado ao Cruzeiro 

Foi então repatriado pelo time que o revelou, o Cruzeiro, em 2006.  Entretanto, não teve uma boa passagem pelo time mineiro, jogando apenas algumas partidas no Brasileirão daquele ano e no Campeonato Mineiro de 2007, anotando apenas 3 golos. 



Em Inglaterra 

Em 2007, transferiu-se para o Manchester City.  Na Inglaterra, teve um bom início, mas não encantou a ponto de ser titular, não tendo seu contrato renovado para a próxima temporada. 

Em Julho de 2008, o Hull City, recém subido para a Premier League, acertou um contrato com o jogador,  que viria a ser o principal destaque do clube na primeira temporada deste na elite do futebol inglês. Além de ter marcado o primeiro golo da história do Hull na primeira divisão inglesa,  foi responsável directo por diversos resultados importantes na luta contra o rebaixamento. Destacam-se golos nas vitórias por 2 a 1 sobre o Arsenal e por 1 a 0 sobre o Tottenham. Também deixou o dele em jogos contra outros grandes do país, como nas derrotas por 4 a 3 para o Manchester United e por 3 a 1 para o Liverpool, além de ter marcado o golo do empate por 2 a 2 com seu ex-clube, o Manchester City. Por esses feitos, virou ídolo da torcida do Hull, mas não conseguiu evitar a descida na temporada seguinte e acabou deixando o clube devido ao seu alto salário.



Passagem nos Estados Unidos

Algum tempo depois, em 16 de Agosto de 2010, assinou contrato com o clube estadunidense San Jose Earthquakes. Participou de 12 jogos e marcou um golo na liga americana.

Vitória

Não renovou para a temporada seguinte e, no dia 30 de Janeiro de 2011, foi confirmado como nova contratação do Vitória. Estreou no segundo Ba-Vi do ano, em que o time rubro-negro saiu derrotado por 2 a 0.[23] Marcou seus primeiros gols alguns dias depois, na vitória sobre o Bahia de Feira, também por 2 a 0, tendo convertido dois pênaltis na partida.[24] Continuou a se destacar e, no dia 3 de abril, na goleada por 4 a 1 do rubro-negro sobre o Feirense, tendo Geovanni anotado o primeiro tento, de falta, foi homenageado pela directoria do clube por ter chegado, actuando pelo Vitória, às marcas de 500 jogos e 100 gols na carreira.  Já no primeiro Ba-Vi decisivo das semifinais do Campeonato Baiano, marcou, de falta, o gol da vitória por 1 a 0 do rubro-negro.  No jogo de volta, numa derrota por 3 a 2 que ainda assim classificou o time à final do estadual, voltou a marcar. A temporada para Geovanni acabou de forma frustrante após o Vitória falhar na busca do acesso à Série A, principal objectivo do clube no ano, por um ponto.



Iniciou o ano de 2012 ainda como titular da equipe, sob o comando de Toninho Cerezo. Ao longo do Campeonato Baiano, Cerezo optou por sacá-lo do time e incluir Lúcio Flávio como titular em algumas partidas, decisão que inicialmente não agradava parte da torcida. Apesar disto, actuou nas finais do Baianão, quando o Vitória acabou perdendo o título para o arquirrival Bahia após dois empates, já que o tricolor tinha melhor campanha na primeira fase. Após o estadual e com a saída de Cerezo, Geovanni viu suas poucas chances serem reduzidas ainda mais, actuando cerca de 40 minutos em todo o primeiro turno da Série B, turno este que terminou com a liderança do Vitória, novamente na busca do acesso à primeira divisão. Com pouquíssimas chances sob o comando de Paulo César Carpegiani, que não o relacionava sequer para o banco de reservas há mais de dois meses, Geovanni rescindiu seu contrato com o rubro-negro no dia 28 de Agosto




America Mineiro 

No dia seguinte, assinou contrato com o América Mineiro até Março de 2013. 

Bragantino 

Em Julho de 2013, o Bragantino anunciou a contratação de Geovanni.