terça-feira, 12 de julho de 2016

GRANDES NOMES

CALADO




José Calado viveu o "sonho português" -iniciou-se no Casa Pia, passou pelo Estrela da Amadora, foi convocado para a selecção de esperanças, garantido na selecção nacional e chegou a titular do Benfica.

Mas não foi pela carreira ascendente que este centro-campista ficou na memória de muitos e no coração de uma pessoa em particular.



Calado foi protagonista da história de amor mais famosa de uma época em que futebol e Benfica andaram de costas voltadas.

Tudo começou com um artigo do nada faccioso Manuel Serrão publicado no ainda menos parcial jornal "O Jogo", no qual o cronista afirmava que o médio do Benfica andava "Calado que nem um melão".



No dia seguinte, a manchete do fiável "O Crime" insinuava uma alegada relação amorosa entre o então capitão do Benfica e Melão, um dos membros da "talentosa" boys band Excesso, entretanto lançado a solo, para mal da humanidade.

Este suposto boato ganhou força e o sonho de Calado passou a ter os dias contados.



Tudo culminou num fatídico jogo frente ao Sporting de Braga onde o jogador do Benfica foi injuriado sempre que tocou na bola. Os nervos instalaram-se, Calado recusou-se a jogar a segunda parte, insultou o treinador - na altura, este menino -, acusou o Benfica de não defender os jogadores e acabou por perder a braçadeira de capitão.
Calado nunca conseguiu lidar com a pressão sobre o alegado envolvimento amoroso e foi mesmo obrigado a abandonar este país de brandos costumes.



Ainda hoje a dúvida paira sobre este mito do futebol português. Será que algum dia existiu uma relação entre Calado e Melão ou tudo não passou de um boato?

Nunca se soube ao certo.



O jogador nunca o confirmou nem desmentiu mas Melão veio prontamente a público gritar "Não sou homossexual".

Nunca duvidamos de ti, Melão.


UM DOS GRANDES GOLOS DE CALADO