quinta-feira, 28 de julho de 2016

GRANDES NOMES

SERAFIM



Manuel Serafim Monteiro Pereira
 25.06.1943 - 07.06.1994


Rio Tinto


Clubes: FC Porto / BENFICA / Académica de Coimbra


Esquerdino nato, Serafim era um possante e atlético ( 1,78 m / 79 kg ) futebolista que começou a sua carreira no FC Porto.

Aos 15 anos já jogava na equipa de juniores mercê de uma autorização ministerial. Desde cedo começou a dar nas vistas pelas extraordinárias qualidades que demonstrava e, sem surpresa, é convocado para representar Portugal no Torneio Internacional de Juniores da UEFA ( actual Campeonato da Europa de sub-19 ) que se iria disputar na Áustria.

Decorria o ano de 1960 e a equipa lusa alcançou um brilhante 3º lugar. Na fase inicial, Portugal defrontou a Itália ( 0 - 0 ), a Holanda ( 2 - 1 ) e a Grécia ( 5 - 1 ). Nas meias-finais, a única derrota, frente à Hungria ( 1 - 2 após prolongamento, com 0 - 0 no tempo regulamentar ) e no chamado jogo de consolação, uma saborosa vitória sobre os anfitriões austríacos por 2 - 1. Em jeito de curiosidade frisar que os húngaros foram os vencedores da competição.

No ano seguinte ( 1961 ) e já integrado nos séniores do Porto ( a despeito de ainda ter idade de júnior ), voltou a ser convocado para a selecção portuguesa que iria participar novamente no Torneio Internacional de Juniores da UEFA, desta vez a ter lugar em Portugal. Formada, uma vez mais, por jovens de grande talento, na primeira fase a selecção lusa empatou com a Itália ( 0 - 0 ) e bateu a Inglaterra por 4 - 0 ( com dois golos de Serafim ). 
Visto três países não terem comparecido para disputar o torneio, para preencher as datas vagas, Portugal defrontou e venceu a França por 3 - 1, conquistando o troféu extra a que seu o nome "Taça Ebbe Schwartz" ( foi o primeiro presidente da UEFA ). A competição prosseguiu com a disputa das meias-finais e o adversário foi a sempre temível Espanha que saiu vergada por uma pesada derrota ( 4 - 1 e três tentos do jovem portista ).

Mas o melhor estava mesmo para vir, visto que na final do torneio, disputada no Estádio da Luz, Portugal com uma enorme exibição "cilindrou" literalmente a Polónia por 4 - 0. Os golos? Todos eles apontados por SERAFIM.

Nessa altura já se destacava pela sua extraordinária capacidade atlética, pujança física, velocidade e potência do remate. Em absoluto, Serafim foi o melhor jogador junior da sua geração. Dessa mesma geração, Portugal pode ainda sentir-se orgulhoso de vários nomes que viriam a envergar a camisola da selecção principal. Além do próprio Serafim, podemos citar uma longa lista na qual constam jogadores como António Simões ( Benfica ), Fernando Peres ( Belenenses, Sporting, Académica e Vasco da Gama, do Brasil ), Pedro Gomes ( Sporting ), José Carlos ( CUF e Sporting ), Pedras ( Guimarães, Benfica, Sporting e Setúbal ), Oliveira Duarte ( Sporting e Académica ), Carriço ( Setúbal ) e Rodrigues ( Belenenses ). Por uma questão de justiça, referenciar ainda jogadores como Lourenço ( Académica e Sporting, foi um dos "magriços" de 66 mas estranhamente nunca actuou pela Selecção "A" ), os guarda-redes Rui ( Porto ) e Melo ( Benfica e Académica ) e Crispim ( Sporting e Académica e capitão da equipa ). Por último, mencionar os nomes de dois grandes jovens futebolistas que não conseguiram alcançar o Olimpo do futebol português : Amândio ( Benfica e Académica ) e em especial Jorge ( Benfica e Académica ), que provavelmente era, a par de Serafim, o outro "craque" do futebol junior português.

Tornou-se titular indiscutível do Porto ( formando uma "explosiva" asa esquerda com Nóbrega ) e foi com a maior naturalidade que chegou à Selecção "A" em 1962, frente ao Brasil ( derrota por 1 -2 ), num jogo disputado no Estádio do Pacaembu.

Em 1963, Serafim ingressou no Benfica e protagonizou a mais cara transferência de sempre entre clubes portugueses. Devido à quantidade e à enorme qualidade dos avançados ( entre outros, Eusébio, Torres, Iaúca e Simões, sendo este um dos seus melhores amigos ) que compunham o plantel encarnado, a passagem de Serafim pelo Benfica não se revelou tão frutuosa como desejariam os técnicos, os dirigentes e os adeptos do clube encarnado.

Ao serviço do Benfica, só efectuou cinco jogos a contar para as competições europeias, todos eles referentes à Taça dos Campeões Europeus ( quatro na época de 1963 / 64 e três golos marcados e um na temporada de 1965 / 66 com a obtenção de um golo ).

A partir da época de 1966 / 67 passou a representar a Associação Académica de Coimbra.


Época 1963 / 64
Da esquerda para a direita:
De Pé : Neto, Ângelo, Raúl, Cruz, Coluna e Costa Pereira.
Em baixo : Augusto Silva, Eusébio, Torres, SERAFIM e Pedras.

Troféu Ramón Carranza - 1 ( 1963 )

Benfica - Barcelona 3 - 2 ** ( as duas equipas apresentaram vários jogadores que tinham actuado dois anos antes na final da T.C.E. em Berna e o resultado foi idêntico ).
** Marcou dois golos nesse jogo.
Benfica - Fiorentina 7 - 3 ( 3 - 3 no tempo regulamentar )

Rita; Cavém ( Ângelo ), Raúl, Humberto Fernandes e Cruz; Coluna e Santana ( Torres ); Iaúca, Eusébio, SERAFIM e Simões ( José Augusto ).



1963
Troféu Ramon Carranza
Da esquerda para a direita:
De Pé : Cruz, Rita, Ângelo, José Augusto, Raúl, Cavém, Coluna e Humberto Fernandes.
Sentados: Santana, Iaúca, Torres, Eusébio, SERAFIM e Simões.