domingo, 21 de agosto de 2016

GRANDES NOMES

TUEBA



TUEBA: Benfica, 1986 a 1988; V. Setúbal, 1988/89; Tirsense, 1989 a 1991; Sp. Farense, 1991/92; Gil Vicente, 1992/93; Leixões, 1993/94; Amora, 1995/96; Ourique, 1997/98.

Numa altura em que o jogador do Zaire, actual República Democrática do Congo, começava a estar na moda por estes lados, aparece no Estádio da "Luz", um jovem médio para treinar à experiência. O seu nome era Tueba Menayane e vinha do AS Vita Club, emblema da capital Kinshasa. Apesar de na altura ser um desconhecido, as suas capacidades físicas, força e velocidade, juntamente com uma vontade de vencer, que acabaria por ser a sua grande imagem de marca, convenceriam o técnico britânico, John Mortimore, a incluí-lo no plantel dessa temporada de 1986/87. Contudo, as oportunidades, numa equipa tão rica em bons jogadores, não foram muitas, mas Tueba, até porque tinha a habilidade de conseguir jogar em diferentes posições no meio-campo, saberia aproveitá-las. 



Um desses jogos, e que quase todos os que se lembram de o ver, recordam, seria um Benfica - FC Porto. A partida, só por si, há-de ser sempre importante, mas esse confronto assumia-se de uma especial relevância anímica, pois, 15 dias antes, o Benfica tinha sofrido uma humilhante derrota frente aos rivais do Sporting, o celebre 7-1. 


Carlos Manuel estava lesionado e a escolha para ocupar o seu lugar recairia sobre o zairense. Logo nos minutos iniciais da partida, com uma fulgurante arrancada pela ala direita do ataque benfiquista, Tueba, conseguiria, à linha, um cruzamento certeiro. Rui Águas corresponderia com o 1-0, e o "placard" haveria de registar no final, 3-1 para as "Águias".



Com a vinda para Portugal, Tueba ganharia outra visibilidade na sua terra natal. Conseguiria assim ser chamado à estreia na selecção principal e, com isso, haveria de ser incluído nos convocados para os principais certames em que o seu país participaria. O primeiro, com uma discreta classificação, seria a CAN de 1988, e o segundo, onde desta vez atingiria os quartos-de-final, a edição de 1992 do mesmo troféu.


Por altura desta sua última participação no torneio africano, já Tueba tinha, há alguns anos, deixado o Benfica. No entanto a sua paixão por Portugal mantinha-o por cá. E se numa primeira fase, de 1988 a 1993, entre V.Setúbal, Tirsense, Farense e Gil Vicente, jogou na 1ª divisão, o resto da sua carreira, de bem mais de 10 anos em Portugal, fê-la, nos escalões inferiores dos nossos campeonatos.