sábado, 20 de agosto de 2016

GRANDES NOMES

ZAHOVIC



Zlatko Zahovič (Maribor, Jugoslávia, 1 de Fevereiro de 1971) é um antigo jogador esloveno de futebol.

Começou a sua carreira nas camadas jovens do Kovinar Maribor. Em 1989 foi bastante elogiado por um conhecido jogador jugoslavo Milko Đurovski, que na altura estava a prestar serviço militar em Maribor.

Carreira

Na época de 2001, a equipe do Valencia CF estava presente na Liga dos Campeões, era uma equipe forte e que estava habituada a chegar longe na competição, tendo chegado à final desse ano frente ao Bayern de Munique, que os espanhois perderam nas grandes penalidades. Zahovič foi um dos que erraram a penalidade, ou melhor, o guarda-redes alemão Oliver Kahn fez uma grande defesa a um remate muito bem colocado.

A sua estreia na selecção eslovena foi em 7 de Novembro de 1992, numa partida frente ao Chipre. A Eslovénia qualificou-se para a Euro 2000 da Bélgica e Holanda, onde o jogador fez uma boa campanha, onde marcou 3 dos 4 golos da sua selecção.

Qualificou-se igualmente para o Mundial de 2002, na Coreia e Japão, mas Zahovič tinha uma relação um pouco difícil com o treinador Srečko Katanec, sendo mandado para casa logo após jogo frente à Espanha. Katanec despediu-se da selecção após o mundial, e Zahovič regressou à equipa. Jogou a que seria a sua última partida em 28 de Abril de 2004, contra a Suíça.

No total jogou 80 partidas, o que é um recorde nacional, e marcou 35 golos, que é igualmente um recorde, o que o torna o jogador com mais sucesso do futebol esloveno desde a sua independência em 1991 e sua inclusão da sua Associação Nacional de Futebol na FIFA em 1992.

É considerado o melhor jogador que a Eslovénia já criou

Polémica


Zahovič também ficou famoso pelas sua polémicas, entre elas a mais falada com Srečko Katanec. Quando estava na Grécia a serviço do Olympiacos, teve uma discussão com o treinador e acabou por deixar o clube antes da temporada acabar. Teve igualmente uma discussão com o treinador do Valência, Héctor Cúper acusando-o de não dar oportunidades suficientes para demonstrar o seu valor. De novo foi novamente transferido para o Benfica, que igualmente deixou a meio da temporada de 2004/2005, acabando a sua carreira pouco tempo depois.