quinta-feira, 18 de agosto de 2016

GRANDES NOMES

DRULOVIC




Ljubinko Drulovic chegou a Portugal quando decorria a época de 1992/93. Após representar o F.C. Zatar (1987/88), o Sloboda Tuzia (1988/89 e 1989/90) e o RAD Belgrado (1990/91 e 1991/92), o jogador preparava-se assim para uma nova etapa na sua vida. Bastaram duas épocas – 1992/93 e 1993/94 - ao serviço do Gil Vicente, para Drulovic dar nas vistas em Portugal. Em 44 jogos o juguslavo apontou 16 golos e o F.C.Porto foi então a Barcelos «pescar» Drulovic.

Ljubinko Drulovic viria então a ser chamado de «muleta de Jardel», durante as épocas que o avançado brasileiro esteve nas Antas. Drulovic e Jardel formaram durante seis anos e meio, um ataque terrível com o jugoslavo a fabricar os golos que o actual avançado do Sporting fazia questão de marcar.

Mas maus dias se aproximavam para Drulovic, passados que estavam oito anos nas Antas, onde passou a ser colocado de parte. Fora dos convocados. Precisamente na altura em que negociava a renovação do seu contrato com um clube que sempre defendeu.

Jardel saiu para a Turquia e desde então que se falava na colocação do jugoslavo na equipa do seu antigo companheiro, contudo, Drulovic ficou nas Antas. Mas o homem que chegou a Portugal para brilhar no Gil Vicente, foi perdendo brilho. Ainda voltou a sobressair a espaços, como nas competições europeias, mas a sua utilização foi descontínua.

Foi então que surgiu a hipótese de representar as cores do nosso Benfica. O rei das assistências preparava-se então para passar a servir Mantorras.

O processo que o transportou das Antas para a Luz...

Decorria o mês de Junho quando se começou a falar de um possível interesse do Benfica em Drulovic. As relações entre o jugoslavo e Pinto da Costa não pareciam ser as melhores e surgia então a possibilidade de Drulovic jogar em Portugal, mas de águia ao peito.

Contudo o jogador mostrava-se extremamente cuidadoso e evasivo quanto ao seu futuro. Todos sabia-mos que Drulovic «sempre disse que gostava de ficar» em Portugal. O jogador afirmava sempre nada ter assinado com nenhum clube, mas quando se lhe falava no Benfica, notava-se alguma baralhação nas palavras do médio esquerdino.

Um dia depois – 12 de Junho de 2001 - de Drulovic ter desmentido, ter um contrato já assinado com algum clube, eis que surge nas capas dos jornais desportivos a confirmação. Drulovic deixava as Antas para rumar até à Luz. O então conhecido «homem do Penta» no F.C. Porto, por ter participado na conquista dos títulos de 1994/95, 1995/96, 1996/97, 1997/98 e 1998/99. Conquistou também quatro Taças de Portugal (1993/94, 1997/98, 1999/2000 e 2000/01), mas na final desta última nem se sentou no banco. Cinco Supertaças (1992/93, 1993/94, 1995/96, 1997/98 e 1999/2000) compõem o seu extenso currículo em Portugal. Drulovic assinara um contrato com o Benfica válido por dois anos e passado que está um ano de contrato, o jogador jugoslavo já é o «capitão» do Sport Lisboa e Benfica.

Nesse mesmo dia, Drulovic era apresentado na sala de imprensa do Estádio da Luz ao lado de Eusébio e António Simões.

O jogador evitava falar do passado : «Não queria falar sobre o meu passado, até porque toda a ge {mostrarimagem("drulovic34.jpg","right","")}te já o conhece. Preferia falar sobre o presente e sobre o futuro».

As negociações com o Benfica foram fáceis até porque «F.C. Porto já não contava comigo e o Benfica é um grande clube». Drulovic começou por comentar a grandeza do Benfica. «O Benfica não precisa de palavras, é aquilo que toda a gente sabe. Um grande clube, não só em Portugal, mas em todo o mundo», e quanto a mais um momento alto da sua carreira com a chegada ao Benfica... «Já tive vários, mas este é sem dúvida um momento muito importante. Tinha de resolver a minha vida. Sou um jogador de futebol e queria ficar em Portugal, onde já estou há nove anos».

A integração de «Drulo» no Benfica...

No final da conferência de imprensa em que o jogador foi apresentado, o jugoslavo vestiu pela primeira vez a camisola encarnada e foi o suficiente, para que passados poucos dias o jogador da Jugoslávia falasse já na conquista do título pelo Benfica.

A gozar férias no seu país Natal, Drulovic seguia a par e passo as contratações do Benfica e ao saber da contratação de Zahovic – antigo companheiro no F.C.Porto – o jugoslavo teve de ultrapassar as dificuldades da rede móvel do seu país e contactou Zahovic: «Dei-lhe os parabéns, disse-lhe que ficava muito feliz por voltar a jogar ao lado dele.»

As expectativas de Drulovic eram amplas, suficientemente largas, ao ponto de acreditar numa «época muito boa». Em entrevista ao site “MaisFutebol” o jogador afirmou: «Temos condições para lutar pelo título», garantia, mas sem tempo nem oportunidade para explanar a tese. Uma quebra repentina de rede não deixou ouvir a parte restante do raciocínio. A chamada caiu e as tentativas seguintes para restabelecer contacto seriam infrutíferas.

As primeiras palavras para os adeptos...

Já com o Benfica em estágio na Suíça, Drulovic era a principal estrela do novo Benfica. A comunicação social acompanhava cuidadosamente os primeiros dias de Drulovic no Benfica e o jogador cedia várias entrevistas.

Numa delas – ao “MaisFutebol” – o médio jugoslavo afirmava que queria estar à altura do que os adeptos esperavam dele assim como abordava a grandeza do Benfica. «Toda a gente sabe o que dei ao F.C.Porto» foi uma das frases que Drulovic deixou no ar numa grande entrevista concedida em Julho ao site “MaisFutebol” e que de seguida reproduzimos:

Drulovic (Benfica): «Quero estar à altura do que esperam de mim»

Drulovic, uma das mais sonantes contratações do Benfica para a nova época, hesita em considerar que as expectativas em redor dele são especialmente fortes. São-no pela qualidade que se lhe reconhece e, claro está, por ter vindo directamente de um rival tão significativo como o F.C. Porto.

Embora sublinhe que não é «o único no plantel» e que «há muitos jogadores com as mesmas responsabilidades», o jugoslavo acaba por reconhecer alguma verdade na ideia: «Vejo essas coisas de forma um pouco diferente, mas claro que sei que as pessoas esperam muito de mim. Quero estar à altura de corresponder a isso, para ajudar o Benfica a ganhar o que pretende.»

Cansado nesta fase inicial da temporada, com as fortes cargas de treino impostas no estágio de Nyon por Toni e Jesualdo Ferreira, Drulovic acha «natural» o facto de estar longe do seu melhor: «Preciso de algum tempo para ganhar forma, mas estou satisfeito com o trabalho desenvolvido e o importante é estar bem no dia 12 de Agosto, quando começa o campeonato que queremos ganhar.»

«Todos os que entram têm consciência da grandeza do Benfica»

O ex-portista está contente no novo clube e classifica de «fácil» a integração no grupo. «Já conhecia a maioria dos jogadores e para já tudo corre pelo melhor», refere, aceitando entretanto o desafio de enumerar as condições essenciais para uma equipa se tornar ganhadora, como foi durante largos anos o F.C. Porto que representou: «Temos, principalmente, de ser uma equipa séria e muito moralizada. Não é fácil jogar bem durante uma época inteira, mas temos de estar sempre fortes e unidos.»

Sete anos sem o título nacional. É esta a herança recebida pelo plantel de todas as esperanças encarnadas. Drulovic sublinha várias vezes que «este campeonato é para ganhar».

Pouco surpreendido com as manifestações de carinho recebidas na Suíça desde o início do estágio - «Estou em Portugal há muitos anos e conheço os clubes, sei que o Benfica é quem tem mais adeptos» -, o esquerdino deixa uma mensagem de optimismo: «Todos os jogadores que entram no clube têm consciência da grandeza do Benfica e sabem que têm de trabalhar em função do grupo. Sabemos que os adeptos esperam muitas coisa de nós e sentimos que eles merecem vitórias.»

«Toda a gente sabe o que dei ao Porto»

É inevitável falar do F.C. Porto quando o interlocutor é Drulovic. Na conferência de imprensa que hoje (domingo) teve lugar na Suíça, notou-se que o sérvio fica pouco à vontade quando o assunto vem à baila. Mas registou-se igualmente o facto de não ter fugido às questões.

Antecipando um cenário que se vai verificar no início da segunda volta do campeonato, quando o Benfica visitar as antas, Drulovic manifestou-se esperançado numa boa recepção por parte dos adeptos: «Acredito que será positiva. Acho que toda a gente sabe o que dei ao Porto em todos estes anos e acho que pelo menos me vão respeitar. As pessoas entendem que agora sou jogador do Benfica e obviamente quero que o Benfica ganhe. O importante é fazermos bons jogos contra o Porto e vencê-los. De resto, sou um profissional e tenho de aguentar qualquer tipo de situação.»



«Estou preparado para jogar de qualquer maneira»

Extremo-esquerdo nato, Drulovic tem conhecido pontualmente outras funções na sua carreira. Nos encontros já disputados pelo Benfica este ano, acabou por deslocar-se para o centro do terreno, como principal construtor de jogo, quando Zahovic não esteve em campo.

Drulovic mostra-se pouco preocupado com a questão e lembra que «antigamente a selecção da Jugoslávia jogava em 4x4x2 e as coisas corriam bem na mesma».

«Estou preparado para jogar de qualquer maneira, em qualquer posição. O Benfica tem várias soluções para o ataque e eu jogo onde o treinador quiser. Ele está a experimentar algumas coisas e mais cedo ou mais tarde teremos um sistema de jogo, o que será bom para nós. Mas para mim o fundamental é jogar. Gosto muito de futebol, não interessa o lugar em que me coloquem», diz.

Convidado a analisar o concorrente mais directo, Drulovic não se faz rogado: «O Porfírio é um excelente jogador. É o meu concorrente e já deu provas do que vale em vários clubes portugueses. Cada um de nós vai ter de lutar pelo seu lugar...»

Quanto à equipa, o jugoslavo nota-lhe «melhorias a cada jogo que passa» e acha que ela «terá tempo de ficar a 100 por cento ».

«Há muitos jogadores novos e não é fácil construir uma equipa. Mas estamos a evoluir, entendemo-nos cada vez melhor e ainda falta muito para começar o campeonato», explica 


Drulovic – o rosto de um plantel...

Passado cerca de um ano, Drulovic começava então a envergar a braçadeira de «capitão» de equipa. Hoje o jugoslavo é o rosto de um plantel educado e profissional. Sempre que necessário Drulovic aparece na sala de imprensa em nome da equipa ou fala com o árbitro durante os jogos.

Depois de um longo «black-out» no Benfica, lá apareceu Ljubinko Drulovic para anunciar uma reabertura à comunicação social. «Somos profissionais e temos de respeitar as decisões do nosso clube. Para mim é igual, falar ou não falar. Já não falava há oito ou nove meses, desde que cheguei ao Benfica», adiantou Drulovic que, apesar de ser o actual capitão, adiantou que não teve uma influência particular na decisão. «Foi uma decisão de todos nós. Decidimos passar a falar com a imprensa que sempre foi importante para este grande clube», limitou-se a dizer a 17 de Março de 2002.

Já esta época o jogador acredita ainda mais na conquista do título e no plantel que «comanda». Segundo Drulovic o Benfica está mais forte mas também, tem de ser menos prejudicado, querendo, claro está, referir-se às épocas anteriores.

Há a 10 anos a espalhar magia pelos campos de Portugal…

A 30 de Agosto do ano que decorre, o avançado juguslavo comemorou 10 anos de presença em Portugal. Depois de representar o Gil Vicente e o F.C. Porto o jogador representa hoje o nosso Benfica e nesse mesmo dia numa entrevista comemorativa dos seus 10 anos – ao jornal “A Bola” - no nosso país Drulovic fala da sua chegada, para o Gil Vicente. «Era para ficar quatro ou cinco dias e estou cá há dez anos...», recorda. Lembra também que quando deixou Barcelos esteve para ir para a Luz, mas acabou por escolher o F.C. Porto, do qual recorda com saudade tudo o que conquistou. Evita reacender a polémica sobre a sua saída das Antas e mostra-se conformado com a perspectiva de não ser titular do Benfica, garantindo que, apesar da concorrência, não haverá guerras de balneário. Fala ainda do seu pé esquerdo, explicando que a capacidade de fazer cruzamentos com a parte exterior do pé aconteceu porque joga «muito pouco» com o direito, e portanto «o pé esquerdo tinha de valer pelos dois...».

Por todos estes anos em Portugal, pelo brilho que espalhou pelos campos portugueses, pela sua personalidade e simpatia, mas claro está por comemorar agora 34 anos, o SL-Benfica.com envia ao jugoslavo Drulovic os sinceros parabéns e com votos de muitas felicidades pela vida fora. Obrigado Drulovic!