domingo, 4 de setembro de 2016

GRANDES NOMES


DITO



Eduardo José Gomes Camassele Mendes, conhecido no mundo de futebol pelo simples diminutivo de Dito, nasceu na cidade de Barcelos no dia 18 de Janeiro de 1962, e tornou-se na década de 80 um dos melhores jogadores portugueses. Tratava-se efectivamente de um jogador de qualidade que além de ter jogado no SL Benfica e FC Porto, vestiu a camisola de formações como o SC Braga, clube pelo qual se afirmou no futebol português, V. Setúbal, Sporting de Espinho e Gil Vicente FC, na 1ª Divisão Nacional, e ainda pelo Torreense e Ovarense na 2ª Divisão de Honra.

Dito ocupava a posição de defesa central, revelando-se um jogador de boa estampa física, forte no jogo aéreo e de excelente sentido posicional, com uma capacidade técnica assinalável para quem ocupava aquele sector.



Iniciou-se no futebol nas camadas jovens do clube da sua cidade natal o Gil Vicente FC pelo qual se inscreveu pela primeira vez na temporada de 1976/77 na categoria de iniciados. Pela sua qualidade, cedo deu nas vistas despertando o interesse do SC Braga, clube que o contratou ainda nas camadas jovens, tendo concluído o seu processo de formação na cidade dos arcebispos.

Um pouco fora do normal para aquela altura, Dito, jogador das camadas jovens de um clube que não era considerado grande, era regularmente convocado para representar as selecções mais jovens de Portugal. Assim, contabilizou no seu processo de formação 7 internacionalizações pela selecção de juvenis, mais 20 na categoria de juniores e 11 pela selecção de esperanças.



Ora, pela sua inegável qualidade cedo apareceu na equipa sénior do SC Braga. É assim que faz a sua estreia com apenas 19 anos na principal divisão do futebol português ao serviço do SC Braga e pela mão do seu mestre Quinito.

Esteve na equipa sénior do SC Braga entre 1981/82 e 1985/86 altura em que se transferiu para o SL Benfica. Porém, ao longo das cinco épocas na equipa sénior do SC Braga, Dito foi invariavelmente titular indiscutível, chegou a capitão de equipa e notabilizou-se como um dos melhores defesas centrais portugueses.

Com a camisola arsenalista destaca-se a presença na final da Taça de Portugal na época de 1981/82, com Quinito a treinador, contra o Sporting CP, em que Dito perderia o troféu já que os leões de Alvalade acabaram por vencer a decisão no Jamor por 4-0.

Na época seguinte disputou e perdeu ainda Supertaça Cândido de Oliveira referente à época de 1981/82, também contra o Sporting CP que tinha feito a dobradinha. Nessa Supertaça depois de uma vitória dos bracarenses no Estádio 1º de Maio em Braga por 2-1, seguiu-se uma derrota em Alvalade por uns concludentes 6-1. Era técnico do SC Braga o António Oliveira.



No Campeonato Nacional da 1ª Divisão destaca-se o desempenho da formação do SC Braga na época de 1983/84 onde conquistou um brilhante 4º lugar na tabela classificativa que permitiu o acesso da equipa da cidade dos arcebispos à Taça Uefa. Dito era nesta altura uma pedra fundamental na equipa do SC Braga onde se notabilizava como um dos seus principais jogadores.

De tal forma assim foi que as convocatórias a integrar a selecção principal de Portugal eram uma constante. Dito contabilizou assim ao longo de toda a sua carreira 17 internacionalizações pela selecção A de Portugal e 1 pela selecção B. Tempos esses em que Portugal tinha jogadores de excelente qualidade na posição de defesa central como por exemplo, Eurico, Lima Pereira, Humberto Coelho, entre outros.


Estreou-se pela principal selecção nacional no dia 28 de Outubro de 1981, com apenas 19 anos de idade, aquando do apuramento para o Mundial de 1982 a disputar na vizinha Espanha. Foi num jogo frente a Israel que Portugal perdeu por 4-1 com o golo português da autoria de Jordão. A equipa portuguesa treinada por Juca, alinhou com Amaral; Gabriel, Humberto Coelho, Eurico, Teixeira; Sousa, Rodolfo, Romeu; Manuel Fernandes, Romeu, Freire e Jordão. Dito entraria para o lugar de Humberto Coelho e assim faria a sua estreia.

Destaque ainda para o golo obtido com a camisola da selecção A de Portugal frente à RFA no Estádio do Restelo no dia 23 de Fevereiro de 1983. Portugal venceu a Alemanha por 1-0 com um golo de Dito na execução de um remate de fora da área, após uma assistência de Costa, que bateu as redes à guarda do mítico Toni Schumacher. Diga-se que foi um brilhante golo bastante elogiado em toda a Europa naquela altura.


Os bons desempenhos de Dito levaram naturalmente à sua transferência para o SL Benfica, onde se sagrou Campeão Nacional na temporada de 1986/87. Dito foi titular indiscutível na equipa treinada pelo inglês John Mortimore, fazendo dupla de centrais alternadamente com Edmundo ou Oliveira.

Nessa mesma época de 1986/87 o SL Benfica conquistou ainda a Taça de Portugal vencendo a final disputada no Jamor o eterno rival de Alvalade por 2-1.

Na época seguinte, segunda ao serviço do SL Benfica, Dito manteve a condição de titular indiscutível na equipa encarnada, tendo como ponto alto nesta época a disputa da final da Taça dos Campeões Europeus, que lamentavelmente o clube da Luz perdeu. Dito foi titular na equipa do SL Benfica nessa noite.

Seguiu-se posteriormente o conhecido como verão quente de 88, quando Pinto da Costa fez um investida junto do rival SL Benfica contratando a revelia do clube lisboeta o defesa central Dito e o avançado centro Rui Aguas para a época de 1988/89.

Sucede que no clube portista Dito não foi de forma alguma feliz. Permaneceu apenas uma época nas Antas não passando de suplente pouco utilizado. Segundo o próprio trocar o SL Benfica pelo FC Porto foi o pior erro da sua vida.

Dito em face da diminuta utilização acabou dispensado no final da temporada e prosseguiu a sua carreira no Vitoria de Setúbal, onde foi sempre titular ao longo das duas temporadas em que representou os sadinos. Do Vitoria de Setúbal seguiu na época de 1992/93 para o Sporting de Espinho onde encontrou novamente Quinito como treinador. Depois, seguiu na época de 1993/94 para o Gil Vicente, clube da sua terra natal ao qual regressava quase 20 anos depois.

No Gil Vicente jogou pela última vez na 1ª Divisão Nacional. Depois seguiu-se duas temporadas na 2ª Divisão de Honra. Na época de 1994/95 no Torreense onde foi treinado por Romeu Silva, antigo craque do Vitoria e companheiro de Dito na Selecção Nacional. E, por fim, na época de 1995/96 na Ovarense treinada pelo seu ex companheiro de equipa no SL Benfica – José Luís – que desafiou Dito a continuar a carreira. Lamentavelmente, os resultados foram de fraca qualidade nas duas épocas que jogou na 2ª Divisão de Honra, sendo nefastos às equipas que foram ambas relegadas à 2ª Divisão B.

A sua relação com o Vitoria Sport Clube foi vivida de forma intensa naturalmente, pois alinhava tão somente por um dos principais rivais dos vimaranenses. Vários SC Braga – Vitoria viveu o Dito em Guimarães ou na cidade de Braga. Também com o SL Benfica, e pelos outros clubes, Dito disputou vários encontros com o Vitoria de Guimarães.

Destaquemos um jogo que se disputou na época de 1982/83 e que Dito participou com a camisola vermelha e branca do SC Braga. Disputou-se à 16ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão. O Vitoria era 4º classificado com 17 pontos, seguido pelo SC Braga com apenas 16 pontos. O Vitoria já tinha vencido o SC Braga no Estádio 1º Maio na 1ª Jornada por 1-2, pelo que este jogo era o primeiro da 2ª volta e uma vitoria dos vimaranenses colocariam definitivamente o conjunto de Braga fora da luta pelo acesso as competições europeias.

O jogo foi disputado no Estádio Municipal de Guimarães numa tarde de sol e sob arbitragem de Fernando Alberto da A. F. do Porto e perante cerca de 15.000 espectadores. O Vitoria treinador por Manuel José alinhou com Silvino; Gregório Freixo, Alfredo Murça, Amândio e Laureta; Fonseca, Pedroto, Nivaldo e Abreu; Paulo Ricardo e Joaquim Rocha. Aos 66 minutos Paquito entrou para o lugar de Nivaldo e aos 76 entrou Barrinha para o lugar de Alfredo Murça.

A equipa do SC Braga apresentou-se da seguinte forma: Valter; Artur, Paris, Guedes, Dito e João Cardoso; Serra, Vítor Santos; Fontes; Jorge Gomes e Wando. Os bracarenses fizeram entrar Manoel para o lugar de Jorge Gomes aos 26 minutos e Spencer aos 83 minutos para o lugar de Wando.



O jogo foi bem disputado com ligeira ascendência do Vitoria, de resto bem patente na 1ª parte do jogo com diversas oportunidade de golo a ser desperdiçadas. Na 2ª parte o jogo foi um pouco mais equilibrado com o Vitoria sempre a tentar de todas as formas adiantar-se no marcador, mas com a defesa bracarense a impor-se. Até que aos 83 minutos o defesa central Amândio do Vitoria apontou o primeiro e único golo da partida, acabando os vimaranenses por vencer por 1-0.
Dito abandonou a carreira de jogador de futebol com 34 anos de idade. Pequeno interregno, porque me 1997/98 fazia a sua estreia enquanto técnico do futebol ao serviço da equipa do Esposende na 2ª Divisão B. Fez a sua estreia na 1ª Divisão Nacional enquanto treinador com o SC Salgueiros, onde foi líder da equipa técnica nas épocas de 1997/98, 1998/99 e 1999/00 onde foi demitido.

Depois teve passagens pelo Desportivo de Chaves, Felgueiras e Portimonense onde não foi tão feliz. Actualmente Dito, com 45 anos de idade é o treinador do Moreirense clube do concelho de Guimarães que milita na 2ª Divisão B.