quarta-feira, 6 de julho de 2016

ÉPOCA DE 1992/93

PLANTEL


Helder, Schwarz, Veloso, Vitor Paneira, Isaias, Silvino, Paulo Sousa, Pacheco, Rui Águas, Rui Costa, João Pinto, Yuran, William, José Carlos, Kulkov, Fernando Mendes, Mozer, Paulo Madeira, Mostovoi, Neno, Futre, Samuel, Hernâni, César Brito, Abel Silva, Kenedy, Abel Xavier

TREINADOR

TOMISLAV IVIC

Tomislav Ivic diz-nos muito. A nós, pessoas do futebol. É campeão nacional em cinco países: Jugoslávia (Hajduk Split-74, 75, 79), na Holanda (Ajax-77), na Bélgica (Anderlecht-81), na Grécia (Panathinaikos-86) e em Portugal (FC Porto-88). É um mister com M maiúsculo.

Nessa época do FC Porto, a da ressaca do inédito título de campeão europeu com Artur Jorge e Paulo Futre, ambos de malas aviadas para o estrangeiro (Matra Racing e Atlético Madrid, respectivamente), Ivic faz história com H maiúsculo. Mais pontos (66), mais vitórias (29), mais golos marcados (88), menos golos sofridos (15), menos empates (8) e menos derrotas (1).

É a primeira época com 20 equipas na 1.a divisão, o FC Porto de Ivic excede-se com E maiúsculo: ganha sempre em casa (19 vitórias, tantas quantas as do Benfica em toda a competição) e é campeão com inacreditáveis 15 pontos de avanço sobre o segundo classificado, o Benfica.

Além disso, Ivic levanta a Taça Intercontinental (2-1 ao Peñarol), a Supertaça Europeia (duplo 1-0 ao Ajax de Cruijff) e a Taça de Portugal (1-0 ao Vitória de Guimarães). Só lhe falta a revalidação do título europeu, impedida na segunda eliminatória, pelo Real Madrid: 1-2 em Valencia (campo neutro) e 1-2 nas Antas.

A estas duas derrotas, acrescentem-lhe só mais uma (2-1 em Alvalade, com o Sporting, cortesia de Paulinho Cascavel e Mário Jorge). Em 54 jogos, é obra. No plano individual, de enaltecer a pontaria de cinco jogadores, a ultrapassar a fasquia dos dez golos: Gomes-22, Rui Barros-19, Semedo-17, Sousa-16 e Madjer-15. Este Porto é mesmo uma máquina com M maiúsculo: Ivic aproveita a deixa de Artur Jorge e dá nisto.

Isto é Ivic em 87-88, vitorioso e conquistador, bem diferente do Ivic de 1984 no Benfica. Como assim? Há precisamente 30 anos, o treinador jugoslavo bate com a porta na Luz por desacordo financeiro com o presidente Fernando Martins. Um quer pagar em escudos, o outro quer receber em dólares. Discussão aqui, discussão ali e lá se vai o sucessor de Eriksson.

Bicampeão em título (82-83 e 83-84), o Benfica encontra substitutos para Eriksson (Roma), Strömberg (Atalanta), Chalana (Bordéus) e Filipovic (Boavista) em Ivic (Galatasaray), Vando (Braga), Nunes (V. Setúbal) e Jorge Silva (Boavista).

O jugoslavo aterra em Lisboa a 17 de Julho com a promessa de manter o registo de Eriksson. "Desde que me dêem tempo", diz. Tempo, ora aí está um problema com P maiúsculo. Quinze dias depois, Ivic sai porta fora sem remissão nem contrato assinado - e substituído logo por Toni, entretanto recolocado a adjunto, agora do húngaro Pal Csernai, vencedor da Taça de Portugal 84-85.

Naquelas duas semanas, Ivic apresenta-se aos jogadores no balneário da Luz a 18 de Junho, dirige o primeiro treino no dia 19, participa na apresentação dos reforços a 20 (além dos três acima citados, há ainda Nivaldo e Silvino-V. Guimarães, Tozé-Torreense, Pita-Vizela e Neno-Barreirense) e é figura de proa no negócio da Shell nas camisolas do Benfica, a troco de 45 mil contos por duas épocas, na tarde de 21.

Daí para a frente, trabalha com os jogadores para o primeiro particular vs. Bordéus, no âmbito da transferência de Chalana. É domingo, dia 29, e Chalana não vem a Lisboa. Nem Tigana. O Benfica ganha 2-1, golos de Shéu (30 segundos), Audrain (62") e Jorge Silva (77").

Menos de 72 horas depois, há precisamente 30 anos, Ivic sai. Assinaria pelo Avellino, em dólares, e só aceitaria o escudo como forma de pagamento no Benfica em 1992, oito anos depois, já na era Jorge de Brito. Mas nem aí as coisas lhe correm de feição. Prefere Shéu a Toni como adjunto, entra em conflito com os russos Yuran, Kulkov mais Mostovoi e pede ao presidente para reduzir o campo da Luz em largura para exercer melhor o pressing sobre os adversários. Só faz 12 jogos (7-3-2) até ser substituído em Outubro por Toni (ironia das ironias com I maiúsculo).

MELHOR MARCADOR

ISAIAS - 17 GOLOS


RESULTADOS


CRÓNICA DA ÉPOCA

O FC Porto conquista o bicampeonato após um campeonato muito disputado até ao final. Mais uma vez a luta foi entre os dois do costume, ficando o Sporting no terceiro lugar.

No fundo da tabela Tirsense, Espinho e Chaves foram os pouco afortunados que desceram de divisão. Para a Europa, além dos três grandes e do habitual Boavista, ganhou bilhete pela primeira vez na sua história o Marítimo.

A caminhada do FC Porto para o título começou quando na oitava jornada venceu em Espinho (1x4) e ascendeu ao primeiro lugar.
Tudo parecia correr bem até que uma derrota em Faro (1x0) deixou o Benfica apenas um ponto atrás.

Na jornada seguinte, foi a vez de os leões irem empatar às Antas e permitir que o Benfica igualasse o Porto na liderança.
Jogo grande, uma semana depois, na Luz, os dois primeiros goraram as expectativas e empataram a zero, o Porto guardava a liderança.

Mas na jornada seguinte o Porto voltou a claudicar, empatando com o Boavista nas Antas para desespero dos seus adeptos que viam o Benfica isolar-se a 5 etapas do fim...

Mas na jornada 31, novo volte-face, desta vez em Aveiro onde o Benfica perdeu por 1x0 e permitiu aos dragões voltar ao topo.
Na penúltima jornada, os encarnados empatam na Amoreira com o Estoril e o FC Porto volta a conquistar o campeonato.

VIDEOS DA ÉPOCA

TAÇA IBÉRICA

BENFICA 2 - REAL MADRID 0



CAMPEONATO NACIONAL

BOAVISTA 2 - BENFICA 3


SPORTING 2 - BENFICA 0


BELENENSES 1 - BENFICA 1


BENFICA 2 - BOAVISTA 0


TIRSENSE 1 - BENFICA 2


BENFICA 3 - CHAVES 1


BENFICA 0 - SALGUEIROS 0


GIL VICENTE 1 - BENFICA 1


ESPINHO 0 - BENFICA 3


BENFICA 1 - FARENSE 0


BENFICA 2 - BRAGA 1


PAÇOS FERREIRA 0 - BENFICA 2


FAMALICÃO 1 - BENFICA 0

video

BENFICA 1 - SPORTING 0


TAÇA DE PORTUGAL

RIO AVE 1 - BENFICA 3

video

BENFICA 1 - PORTO 1


BENFICA 2 - PORTO 0 (DESEMPATE)

FINAL DA TAÇA

BENFICA 5 - BOAVISTA 2



TAÇA UEFA

BELVEDUR ISOLA 0 - BENFICA 5


VAC 0 - BENFICA 1


DINAMO DE MOSCOVO 2 - BENFICA 2


BENFICA 2 - DINAMO DE MOSCOVO 0


BENFICA 2 - JUVENTUS 1


JUVENTUS 3 - BENFICA 0