sábado, 10 de dezembro de 2016

GRANDES NOMES

ÓSCAR CARDOZO




Óscar René Cardozo Marin, nasceu em Doctor J. Eulogio Estigarribia, Paraguai, a 20 de Maio de 1983, é um futebolista paraguaio que joga atualmente no Olympiacos, após se ter destacado ao serviço do Benfica, tornando-se uma referência do clube ao marcar 171 golos durante 7 épocas, sendo assim o 9º melhor marcador de todos os tempos do clube.

Tornou-se na 3ª mais cara contratação de sempre do Sport Lisboa e Benfica quando, no Verão de 2007, o clube lisboeta pagou 9,15 milhões de euros por 79.5% do seu passe, tendo recentemente adquirido a restante percentagem a troco de mais 2,5 milhões de euros. Estes números apenas são ultrapassados pelos 13 milhões que trouxeram, em 2001, Simão Sabrosa para a Luz e pelos 13.5 milhões pagos recentemente pelo futebolista Salvio.


VIDEO



Carreira

No ano de 2006 marcou 17 golos em 12 jogos pelo Nacional.

É conhecido no meio futebolístico de seu país pela alcunha de "Tacuara" pelo seu físico esguio. É também conhecido pelo seu remate forte de fora de área em que a bola descreve um arco descendente e entra no fundo das redes por cima do guarda-redes adversário. Em 2009-10 marcou 38 golos em todas as competições e foi o melhor marcador da liga portuguesa com 26 remates certeiros.

Argentina

Chegou ao Newell's na segunda metade da época de 2006 por um valor a rondar os 900 mil euros. No Newell's juntou-se aos Paraguaios Diego Gavilán, Santiago Salcedo e Justo Villar.

Tornou-se num sucesso imediato marcando 11 golos em apenas 16 jogos no Torneo de Apertura. Devido ao bom desempenho, Cardozo foi premiado como Futebolista Paraguaio do ano, em 2006.

Começou a época de 2007 brilhantemente. Em 6 jogos marcou 7 golos pelo Newell's criando assim uma oportunidade de aparecer na Taça dos Libertadores.

O seu desempenho não passou despercebido na Europa, onde clubes como Valencia, Werder Bremen ou Benfica, com quem assinou, mostraram interesse.

Benfica

Cardozo foi contratado pelo Sport Lisboa e Benfica no verão de 2007, numa transferência que custou 9,1 milhões de euros por 80% do passe.

Depois do final da Copa América, Cardozo foi de imediato para o Estádio da Luz. O cansaço e o processo natural de habituação ao futebol português e europeu, levaram a que não fosse de imediato decisivo.

Mas a meio da época, já era o principal marcador da equipa, com 10 golos em todas as competições. Terminou as provas com 23 golos, numa equipa que se classificou em 4º lugar, num plantel com as constantes dificuldades técnicas que teve o Benfica durante a temporada 2007-2008.

Na época 2008/2009, apesar ter perdido a titularidade, foi o melhor marcador do clube, e o segundo melhor marcador da liga com 17 golos, a maior parte deles feitos na recta final da Liga devido à lesão de David Suazo, titular da frente atacante do Benfica, que abriu uma vaga para o paraguaio dar mostras da sua qualidade.

Na época 2009/2010, sagrou-se campeão nacional e individualmente, no último jogo, recebeu o prémio de melhor marcador do campeonato, tendo apontado 26 golos, apesar de ter falhado sensivelmente metade das grandes penalidades a que foi chamado a converter. Foi igualmente o melhor marcador da Liga Europa.

Na época 2010/11, alcançou o sueco Mats Magnusson na liderança da tabela de melhores marcadores estrangeiros da história dos encarnados, no jogo com o Olhanense (2-0).

Após cerca de 7 épocas de águia ao peito, rumou ao Trabzonspor, em 2014/2015.

Exatamente no dia em que se ia embora recebeu nacionalidade portuguesa.

Trabzonspor

Acertou, em agosto de 2014, com o Trabzonspor pelo valor de 5 milhões de euros.

Seleção

A sua estreia (a 5 de Junho de 2007) pela selecção foi num jogo particular contra o México. Cardozo marcou nesse jogo o seu primeiro golo.

Fez parte da selecção paraguaia na Copa América de 2007. Tendo jogado 3 jogos e marcado um golo.

No mundial de 2010, realizado na África do Sul, foi titular em 2 jogos tendo marcado a última e decisiva grande penalidade na passagem do Paraguai aos quartos de final.

Nos quartos de final Cardozo manchou a sua participação na competição, até então bastante positiva, com uma grande penalidade falhada que poderia ter eliminado os actuais campeões do Mundo, a Espanha.